Terapia online

Terapia Online durante a pandemia: cuidados com o sigilo

Na pandemia, a população passou a enfrentar ainda mais dificuldades para manter e promover saúde mental e, na impossibilidade de ter contato presencial, a terapia online passa a ser uma opção de grande valia, tanto para quem já passava por um processo terapêutico quanto para quem precisou iniciar terapia durante a pandemia.

Karen Paiva

Compartilhe:
Photo by Simon Abrams on Unsplash

Photo by Simon Abrams on Unsplash

Na pandemia, a população passou a enfrentar ainda mais dificuldades para manter e promover saúde mental e, na impossibilidade de ter contato presencial, a terapia online passa a ser uma opção de grande valia, tanto para quem já passava por um processo terapêutico quanto para quem precisou iniciar terapia durante a pandemia.

O mundo mudou! De repente, tantos planos e promessas de ano novo precisaram ser reformuladas em meio a uma pandemia de proporções catastróficas.

Junto ao fato de que a única forma eficaz de prevenção no momento ainda é o afastamento social, milhares de pessoas por todo o mundo perderam alguém querido. Familiares, amigos, não existe filtro para quem foi atingido pela doença. Esse combo, junto ao risco colocado por um simples aperto de mão, trouxe a necessidade de acompanhamento psicológico para muitos.

Mas o que fazer quando todos os atendimentos presenciais são suspensos? A terapia online torna-se a melhor opção para quem precisou de um suporte profissional. 

Em um gesto de solidariedade, profissionais de saúde mental se disponibilizaram inclusive em grupos de atendimento voluntário, buscando dar suporte emocional para os profissionais de saúde ( que estavam na linha de frente no enfrentamento à pandemia) e também para os mais vulneráveis nesse momento de instabilidade.

Atendimento Psicológico por meio de tecnologias da informação e da comunicação

A partir da Resolução 11/2018, é possível ofertar serviços de terapia online sem limites de sessão. Tal resolução regulamenta a prestação de serviços psicológicos realizados por meio de Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs). Além disso, todo psicólogo que deseja prestar atendimento online precisa cadastrar-se no site e-Psi. Este cadastro é importante para fins de censo e regularização dos profissionais, e tem caráter obrigatório.

Frente a urgência da autorização de serviços online e a enorme demanda de profissionais para essa modalidade de atendimento, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) simplificou o cadastro na plataforma e-Psi, permitindo a prestação de atendimento online por milhares de profissionais.

Mas todo esse movimento só é possível graças à existência de ferramentas e tecnologias que permitem executar esse trabalho, mantendo a ética exigida pela profissão. Algumas ferramentas, por mais que sejam muito conhecidas e utilizadas, não permitem que o profissional mantenha o sigilo de forma eficaz.

Para o profissional, é indispensável que esteja atento às Políticas de Privacidade e Termos de Uso das ferramentas escolhidas para o seu trabalho (leia as letrinhas miúdas!!!). Alguns cuidados devem ser tomados para minimizar ao máximo os riscos existentes, como:

  • Utilizar um ambiente criptografado, ou seja, uma ambiente que embaralha a comunicação fora do túnel criado para a consulta, de modo que apenas as duas pontas que se comunicam tenham acesso a conversa.
  • Evitar a utilização de ambientes públicos ou compartilhados, tanto por conta do próprio ambiente, que pode ter a presença de outras pessoas, quanto pelo equipamento que, não sendo de uso pessoal e com senha, poderá facilmente ser acessado por outra pessoa.
  • Evitar links desconhecidos e que não sejam seguros (somente acesse sites com início em https).
  • Dar preferência a plataformas e ferramentas que disponibilizam algum tipo de suporte ao usuário.
  • Pedir que o cliente também tome alguns cuidados, como não utilizar computadores em espaços públicos ou compartilhados e não acessar outras páginas durante o atendimento online.

Para que o atendimento mediado por tecnologias siga os preceitos éticos, fundamentais a todos os psicólogos, é indispensável que a ferramenta escolhida para o atendimento forneça o necessário para manter o sigilo.

Já teve alguma experiência com terapia online? Como foi sua vivência?